Hospital Infantil Joana de Gusmão Foto: Celesc
O Hospital Infantil Joana de Gusmão, em Florianópolis, é uma das 11 unidades pioneiras no Brasil na implantação do novo programa de residência em pediatria proposto pela Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), que passou de dois para três anos. O lançamento oficial do programa foi realizado no Centro de Estudos Miguel Salles Cavalcanti, no hospital, na manhã desta sexta-feira, 8, com a presença do presidente da SBP, Dioclécio Campos Junior, e outras autoridades.

Além de prevê três anos de residência em vez de dois, o novo programa aborda a atualização do conteúdo e a inclusão de temas como advocacia da saúde e direitos da criança e do adolescente. “Devido ao seu caráter fundamental, esse assunto foi amplamente discutido e aprovado por unanimidade por todos os estados”, afirmou Campos Junior.

O projeto foi levado ao Ministério da Educação (MEC) em 2007 e aprovado em junho de 2013. No Brasil, há 190 Programas de Residência em Pediatria, dos quais, até hoje, 11 aderiram ao novo formato. Entre eles o do Joana de Gusmão de Florianópolis, que a partir de 2015 passou a adotar o programa de três anos.

Para o diretor do Hospital Infantil, Carlos Schoeller, a novidade trouxe um pouco de receio, mas está sendo encarada de forma tranquila. “A maior contribuição desse terceiro ano da residência é a inserção de um quarto princípio à tríade do SUS – universalidade, integralidade e equidade – a transformação do pediatra em educador”, concluiu Schoeller, que já foi coordenador da residência médica da unidade. O Hospital Infantil Joana de Gusmão conta com 24 residentes, número que passará para 36 devido à ampliação do setor até 2016.

A diretora de Ensino e Pesquisa da SBP, Sandra Josefina Ferraz Ellero Grisi, explicou que a formação atual prevista está desatualizada. “A norma curricular tradicional é da década de 1970, e não condiz mais com a necessidade e o perfil epidemiológico da criança e do adolescente do século 21”, esclareceu a pediatra, titular do departamento de Pediatria da Universidade de São Paulo (USP).

Ao longo do dia, os residentes do Hospital Infantil puderam participar de debates e tirar dúvidas sobre o novo programa, no qual estão inseridos. Duas mesas de discussão foram propostas, além da exposição sobre o novo currículo, desafios e possibilidades, trazidos pelos médicos da unidade e do Hospital da Universidade Federal de Santa Catarina.


Jaqueline Richter
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estadao da Saúde

Post A Comment: