Fotos: Jaqueline Noceti/Secom
Medidas em comum para combate ao crime, criação de centros integrados de segurança e ações para promoção do desarmamento foram alguns dos tópicos discutidos nesta semana em Florianópolis durante o Encontro de Ministros da Justiça e do Interior dos Países do Mercosul. Nesta sexta-feira, 12, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, fez um balanço positivo do evento promovido em parceria pelo Governo Federal e Governo do Estado de Santa Catarina. Representantes de 12 países da América do Sul participaram das reuniões e debates realizados desde segunda-feira, 8.

“Todos temos experiências no enfrentamento à violência, todos estão desenvolvendo seus planos nacionais. Neste evento, dialogamos para buscar também um plano regional em conjunto. Temos causas comuns de violência que podem ser diagnosticadas, identificadas e combatidas em comum. Trocarmos experiência neste sentido”, explicou o ministro Cardozo.

O evento discute temas como extradição, transferência de pessoas condenadas, projetos e melhoria do sistema penitenciário, refugiados, migração, terrorismo, segurança cidadã, informática e comunicações, capacitação e tráfico ilícito de material nuclear.

O ministro brasileiro também citou o bom exemplo da promoção da segurança pública no Brasil durante os jogos da Copa do Mundo de 2014, destacando a criação de centros integrados de controle nas 12 capitais que sediaram jogos. A proposta agora é levar o modelo para todas as capitais brasileiras por meio de parcerias entre Governo Federal e governos estaduais. Durante a Copa, também foi estruturado em Brasília um centro para policiais estrangeiros trabalharem de forma integrada com brasileiros. Nas Olimpíadas de 2016, uma estrutura no mesmo modelo funcionará no Rio de Janeiro. E os ministros que participaram do evento em Florianópolis lançaram a proposta de manter essa mesma prática de forma permanente para coordenação de ações concretas de combate ao crime organizado. A questão será aprofundada em novos debates.

Outra proposta levantada foi a de integrar ações para desarmamento nos diferentes países da região. “Quanto mais armas uma população possui, maior a incidência de crimes violentos. Vários países do Mercosul têm campanhas nacionais pelo desarmamento, o Brasil tem. Mas queremos criar um dia para marcar ações comuns em todos os países, um data para ações regionais que possa vir a ser até uma data mundial no futuro”, defendeu o ministro Cardozo.

O Encontro de Ministros da Justiça e do Interior contou com a participação de países membros do Mercosul, países associados e outros que estão em trâmite para se tornarem país membro. Desta edição em Florianópolis, participaram além de representantes brasileiros, delegações visitantes da Argentina, Paraguai, Uruguai, Venezuela, Bolívia, Chile, Peru, Colômbia, Equador, Guiana e Suriname.


Alexandre Lenzi
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom

Post A Comment: