Estamira Foto: Divulgação

Nesta semana, o Cinema do Centro Integrado de Cultura (CIC) exibe dois premiados documentários brasileiros: Estamira, de Marcos Prado, eEdifício Master, de Eduardo Coutinho. As sessões têm entrada gratuita e ocorrem de quinta-feira a domingo, sempre às 20h. A realização é uma parceria entre Fundação Catarinense de Cultura (FCC) e o curso de graduação de Cinema da Unidade Pedra Branca, da Universidade do Sul de Santa Catarina (Unisul).

Programação:

1 e 3 de setembro de 2016 (quinta-feira e sábado), às 20h:

Estamira
Direção: Marcos Prado
Duração: 120min
Ano: 2006
País: Brasil
Classificação etária: 14 anos
Sinopse: Trabalhando há cerca de duas décadas em um aterro sanitário, situado em Jardim Gramacho, no Rio de Janeiro, Estamira Gomes de Sousa é uma mulher de 63 anos, que sofre de distúrbios mentais. O local recebe mais de oito mil toneladas de lixo da cidade do Rio de Janeiro, diariamente, e é também sua moradia. Com seu discurso filosófico e poético, em meio a frases, muitas vezes, sem sentido, Estamira analisa questões de interesse global fala também com uma lucidez impressionante e permite que o espectador possa repensar a loucura de cada um, inclusive a dela, moradora e sobrevivente de um lixão.


2 e 4 de setembro de 2016 (sexta-feira e domingo), às 20h:

Edifício Master
Direção: Eduardo Coutinho
Duração:  110 min
Ano: 2002
País: Brasil
Classificação etária: 12 anos
Sinopse: Em um emblemático prédio de Copacabana, a uma esquina da praia, moram cerca de quinhentas pessoas. A produção reúne depoimentos de 37 pessoas comuns que revelam à câmera seus dramas, sonhos, sentimentos íntimos e, em muitos casos, a solidão. O filme conquistou o prêmio de melhor documentário no Festival de Gramado e no Festival de Havana, além de outras premiações nacionais e internacionais.

Post A Comment: