Alimentos tem que ser analisados Foto: Ricardo Moura / Norte

A Secretaria de Estado da Educação e as empresas responsáveis pelas refeições escolares, Nutriplus e Risotolândia, estão promovendo um projeto que incentiva os alunos a distinguir alimentos saudáveis dos prejudiciais à saúde de forma divertida. É o Semáforo Nutricional, que usa materiais educacionais e atividades lúdicas.

Os nutricionistas das empresas resem conjunto com os professores trabalham a conscientização dos alunos e promovem hábitos saudáveis. “Essas são ações que complementam as atividades desenvolvidas pela Secretaria de Estado de Educação e contribuem para que as crianças e adolescentes adquiram hábitos mais saudáveis”, enfatiza o diretor de Articulação com os Municípios e de Políticas e Planejamento Educacional, da Secretaria de Estado da Educação, Osmar Matiola.

Para a nutricionista, Renata Maluly, da empresa Risotolândia, o dia a dia dos pais muitas vezes reflete nas refeições dos filhos, que acabam sendo rápidas e práticas facilitando o consumo de doces, biscoitos e outros produtos industrializados. “O costume de fazer refeições diárias sem o devido valor nutricional pode afetar o aprendizado dos alunos e causar doenças", afirma.

A obesidade, por exemplo, é apontada pela Organização Mundial da Saúde como um dos maiores problemas de saúde pública no mundo. A previsão é de que, até 2025, mais de 700 milhões de adultos estejam obesos. Se os hábitos não se modificarem, o número de crianças com sobrepeso e obesidade pode chegar a 75 milhões no mesmo período. "Um número alarmante se pensarmos que no Brasil o problema só vem crescendo, principalmente na região Sul, onde mais de 56% dos adultos estão com excesso de peso, de acordo com dados do IBGE", explica o gerente de comunicação da Nutriplus, Antônio Carlos Valini.

Semáforo Nutricional
As atividades simulando as luzes indicativas de um sinal de trânsito são desenvolvidas nos intervalos das aulas, durante o período do recreio. "O objetivo é fazer com que os alunos aprendam sobre alimentos que podem ser consumidos moderadamente e outros que são liberados e incentivados, como frutas e verduras", destaca a nutricionista.

Confira como funciona a sinalização

Sinal vermelho, Cuidado: são alimentos com muita gordura, açúcar, sódio e poucas vitaminas e minerais, favorecem doenças do coração e outras como obesidade e diabetes, se consumidos em excesso. Exemplos: salgadinhos, refrigerantes, biscoitos recheados, sorvetes, sopas prontas, alimentos congelados, etc.

Sinal amarelo, Atenção: possuem número elevado de calorias, o que favorece o ganho de peso, técnicas de preparo provocam a perda de nutrientes, favorecem a obesidade, problemas no coração e doenças crônicas. Exemplos: queijos, frutas em calda, açúcar, sal, óleo, enlatados, conservas, etc.

Sinal verde, Vá em frente: são fontes de vitaminas, minerais, fibras e nutrientes, fornecem ao organismo os nutrientes necessários, previnem doenças. Exemplos: frutas, verduras, aveia, ovos, leite, alimentos integrais, carnes, feijão, batata, amendoim, milho, água, etc.

 
Edinéia Rauta
Assessoria de Imprensa SED
Secretaria de Estado da Educação - SED

Post A Comment: