A ostra catarinense está mais perto do imenso mercado chinês. No dia 12 de maio, dirigentes e técnicos da Epagri reuniram-se com representantes da empresa KoNex Internacional Business para iniciar o processo de aproximação com maricultores catarinenses que tenham interesse em comercializar seus produtos naquele mercado.

Segundo Alex Alves dos Santos, pesquisador do Centro de Desenvolvimento em Aquicultura e Pesca da Epagri (Cedap), a cadeia produtiva de ostras em Santa Catarina está pronta para atender à esta demanda, com vantagens sobre concorrentes estrangeiros. “Nosso ciclo produtivo é mais curto que em outros países”, explicou ele ao representante da KoNex, César Kluge. Segundo Alex, enquanto que em Santa Catarina é possível produzir ostras adultas com sete meses de cultivo, em outros países esse prazo pode ser de dois a quatro anos.

China quer importar ostraAlém do ciclo produtivo mais curto, a tecnologia aplicada pelos maricultores catarinense também permite ampliar a produção de forma rápida, sem grandes esforços, informa Alex. Os produtores de que se interessarem em atingir o mercado chinês precisarão investir no processo de depuração das ostras, uma exigência do mercado externo. Atualmente são poucos os produtores catarinenses que depuram suas ostras, mas essa técnica já é dominada pelo setor. A intenção é exportar as ostras desconchada e congeladas, então será necessário definir com os compradores qual a melhor tecnologia para usar no congelamento do produto.

Além de aumentar a produção, será necessário atender às exigências sanitárias e burocráticas, tanto do Brasil quanto da China, para permitir que o a ostra nacional entre naquele país. Esse processo deve levar entre um ou dois anos, ao final do qual a exportação poderá ser iniciada de forma efetiva.

Em todo esse processo a Epagri terá o papel de sensibilizar os produtores para o tema e promover a aproximação entre eles e empresa exportadora. “Também podemos dar apoio na logística e até em outros aspectos, como na definição de preços”, avalia Alex.

Durante a reunião ficou definido que a KoNex vai desenvolver um projeto onde serão definidos atores e papeis, e identificadas outras instituições que podem apoiar o processo de exportação das ostras catarinenses. A empresa vai marcar nova reunião, que terá participação de representantes da Epagri.

Post A Comment: