Animais Noturnos Foto: Divulgação
Psiquiatria, arte, religiosidade, transexualidade e filme infantil no Cinema do CIC
Sessões têm entrada gratuita

A semana está com a agenda cheia e com temáticas bem diversificadas no Cinema do Centro Integrado de Cultura (CIC). De quinta-feira a domingo, no período noturno, tem os filmes Mãe só há uma, de Anna Muylaert; Nise, o coração da loucura, de Roberto Berline; A Garota Dinamarquesa, de Tom Hopper; Cícero Dias, o compadre de picasso, de Vladimir Carvalho; Animais Noturnos, de Tom Ford; e Marias, de Joana Mariani e Leticia Giffoni. Os filmes têm entrada gratuita. A realização é uma parceria da Fundação Catarinense de Cultura (FCC), administradora do espaço, e da Unisul campus Pedra Branca, responsável pela programação.

Já para os pequenos, tem Cineclube Infantil no sábado (2), às 16h, também com entrada gratuita. Nesta semana, a sessão terá o longa brasileiro As aventuras do pequeno Colombo. A iniciativa é uma parceria entre a FCC, por meio do Museu da Imagem e do Som (MIS/SC), e a organização da Mostra. 

PROGRAMAÇÃO:

31 de agosto (quinta-feira), às 20h:

Pscicanálise e Cinema, debate promovido pela Maiêutica.

Mãe só há uma
Direção: Anna Muylaert
Ano: 2016
País: Brasil, França
Duração: 82 minutos
Classificação etária: 16 anos
Sinopse: Escola, bicicleta, baseado, banda de rock. Pierre é um jovem de classe média como todos os outros. Um dia a polícia bate a sua porta e sua vida vira de cabeça pra baixo. Após um exame de DNA, aquela que ele pensava ser sua mãe é presa. Pierre se vê forçado a trocar de mãe, de casa, de escola e de nome. Em sua nova identidade, ele passa a ser chamado de Felipe. É quando seus lados mais íntimos e ocultos saem do armário, doa a quem doer.

1º de setembro (sexta-feira), às 20h:

Nise, o coração da loucura
Direção: Roberto Berline
Ano: 2015
País: Brasil
Duração: 108 minutos
Classificação etária: 12 anos
Sinopse: Ao sair da prisão, a doutora Nise da Silveira volta aos trabalhos num hospital psiquiátrico no subúrbio do Rio de Janeiro e se recusa a empregar o eletrochoque e a lobotomia no tratamento dos esquizofrênicos. Isolada pelos médicos, resta a ela assumir o abandonado Setor de Terapia Ocupacional, onde dá início a uma revolução regida por amor, arte e loucura.

2 de setembro (sábado), às 16h:

As aventuras do Pequeno Colombo
Direção: Rodrigo Gava
Gênero: Animação
País: Brasil
Ano: 2015
Duração: 88 min
Classificação: 4 anos
Sinopse: Ano de 1460, o jovem Cris (Cristóvão Colombo), preocupado com a situação financeira de seu pai, sai atrás de um lendário e valioso mapa que estava com um inescrupuloso mercador de escravos, o terrível Capitão Bonneville. Cris (Léo Da Vinci) e Lisa (Mona Lisa) embarcam num navio negreiro e partem numa aventura pelos oceanos até encontrarem a poderosa criatura marinha, o Nautilus (defensor do povo da Atlântida). Teria Cristóvão Colombo encontrado o Novo Mundo (1942) se não tivesse derrotado o monstro? O filme brinca com as possibilidades, na História, de C ristóvão Colombo e Leonardo da Vinci terem se encontrado em Genova para viveram uma aventura fantástica, levando-os de encontro’ aos seus destinos.

2 de setembro (sábado), às 18h e às 20h:

18h: A Garota Dinamarquesa
Direção: Tom Hopper
Ano: 2016
País: Alemanha, Bélgica, Dinamarca, EUA, Reino Unido
Duração: 120 minutos
Classificação etária: 12 anos
Sinopse: A história do pintor dinamarquês Einar Wegener que, em 1931, foi uma das primeiras pessoas a se submeter a uma cirurgia de mudança de sexo, tornando-se uma mulher e passando a se chamar Lili Elbe.

20h: Cicero Dias, o compadre de picasso
Direção: Vladimir Carvalho
Ano: 2016
País: Brasil
Duração: 79 minutos
Classificação etária: 12 anos
Sinopse: A trajetória artística e pessoal do pintor pernambucano Cícero Dias, um dos nomes mais significativos do movimento modernista brasileiro.

3 de setembro (domingo), às 18h e às 20h:

18h: Animais Noturnos
Direção: Tom Ford
Ano: 2016
País: EUA
Duração: 115 minutos
Classificação etária: 14 anos
Sinopse: Um escritor pede a sua ex-mulher para ler o manuscrito de seu novo romance, uma história sobre um homem de família cuja vida dá uma guinada sombria.Durante a tensa leitura, Susan pensa sobre as razões de ter recebido o texto, descobre verdades dolorosas sobre si mesma e relembra traumas de seu relacionamento fracassado.

 20h: Marias
Direção: Joana Mariani, Leticia Giffoni
Ano: 2016
País: Brasil, Cuba, México, Peru e Nicarágua
Duração: 75 minutos
Classificação etária: Livre
Sinopse: “O filme surgiu de uma constatação: temos 24 países na América Latina, e todos eles tem como padroeira Maria, ”relata a diretora Joana Mariani. “Por que? Por que para tantas pessoas, Maria tem tanta importância? Saímos atrás de respostas para esta pergunta.” “Marias” não se propõe a dar uma resposta a pergunta acima, e sim várias respostas, abrindo assim a conversa sobre os valores femininos e a valorização deles nos tempos atuais. Nossa Senhora é adorada e importante para a América Latina porque representa estes valores. O acolhimento, a compreensão, o cuidado, a crença. Em tempos de agressividade, os braços sempre abertos de Maria trazem alento.

Post A Comment: