Crédito: Divulgação
Se estivesse vivo, Franklin Cascaes completaria 111 anos nesta quarta-feira, dia 16 de outubro. E para homenagear o patrono, o Franklin Bar, promove uma exposição com máscaras feitas em cerâmica pelo artista manezinho Thiago Valdi. Os trabalhos podem ser visitados gratuitamente a partir das 18h da quarta-feira, dia 16 no bar que fica no centro da Capital.


Thiago Valdi abre exposição em homenagem ao artista Franklin Cascaes no Franklin Bar, em Florianópolis

Manezinho completaria 111 anos na quarta-feira, dia 16 de outubro; entrada no bar é gratuita 

               Para homenagear e não passar em branco o aniversário de Franklin Cascaes, que se estivesse vivo completaria 111 anos no dia 16 de outubro, o Franklin Bar, em Florianópolis, abre uma exposição do artista Thiago Valdi, em homenagem ao patrono do bar. A abertura da Série Sinistras é na quarta-feira, dia 16, a partir das 18h, e a entrada no bar é gratuita.

               De acordo com o proprietário Diego Rita, o bar, que é um dos mais charmosos da região central da Capital, tem se tornado uma casa de cultura catarinense, e receber uma exposição com trabalhos de Valdi comprova isso.

O artista que prestou uma linda homenagem para Cascaes com um mural no centro da cidade sempre foi mais conhecido pelos trabalhos urbanos, mas pouca gente sabe que a cerâmica está presente na vida do artista faz um bom tempo.

 “Fiz aulas na olaria de São José e nos últimos anos me aprofundei mais e comecei a praticar escultura. E agora utilizei a cerâmica como mais uma forma de apresentar a arte manezinha porque é um algo super local de Florianópolis e através dela consigo transmitir um pouco da minha expressão artística em três dimensões”, destaca Valdi.

O muralista comenta que Franklin sempre foi uma grande fonte de conhecimento e folclore, tanto que quando viu pela primeira vez um livro sobre o conterrâneo fez alguns esboços da série de máscaras de bruxa inspiradas na obra de Cascaes.

               “Creio que nos dias de hoje a face verdadeira da bruxa é bela, assim como de uma pessoa comum que a gente encontra na rua, mas por dentro, como se fosse essa máscara seria a realidade da personalidade dela. E Franklin dizia, como conhecemos do folclore, que haviam bruxas do mal, mas acredito que existam também bruxas do bem, feiticeiras e benzedeiras”, comenta.

E a exposição no bar, que conta com treze máscaras, seis no tamanho de 45 cm de altura cada e mais sete menores, não retrata só essa parte demoníaca, mas também outras formas do fantástico feminino. Tanto que o nome da exposição não é um mero acaso. Assim como o 13 é um número místico, o artista quebrou o pulso dias antes de começar a confeccionar as máscaras.

 “O ocorrido foi um desafio e acabou dando o conceito todo e o nome da coleção. Afinal a gente tem um pouco de medo, de curiosidade e como não sou canhoto foi um desafio começar esculpir com a mão esquerda. Mas, achei que ficou superlegal o resultado”, completa.

O Franklin Bar, inaugurado em junho deste ano, fica na Rua Tiradentes, 223, no centro histórico da Capital. O horário de funcionamento é das 18h às 00h.

Juliano Zanotelli
Jornalista |Mtb/SC 02441 JP|  

Post A Comment: