A doação de sangue é uma atitude que salva vidas. O sangue doado auxilia no tratamento de alguns pacientes e em casos de acidentes e cirurgias, que necessitam de transfusão. Para atender essa demanda, o Centro de Hematologia e Hemoterapia de Santa Catarina (Hemosc) precisa manter seus estoques em um nível adequado e seguro. Durante a temporada de verão, esse desafio é ainda maior, já que nesta época as doações tendem a diminuir, e a procura por sangue pode aumentar.                            

A responsável pela Divisão de Produção do Hemosc, Muriel Mazziero, lembra que o sangue é insubstituível, não podendo ser fabricado artificialmente, o que torna a doação a única forma de obtenção. “Doar sangue é um ato simples, tranquilo e seguro. A doação espontânea e periódica é fundamental para a manutenção dos estoques. Uma única doação pode salvar várias vidas”.

Muriel afirma que todo o processo de doação leva, em média, 55 minutos e são retirados aproximadamente 450 ml de sangue. A coleta é feita por pessoal capacitado e sob supervisão de um médico ou enfermeiro, garantindo o bem-estar do doador. “A pessoa faz o cadastro com documento oficial com foto, depois passa por um processo de triagem para ver se cumpre os requisitos de doador. Em seguida é feita a retirada do sangue e, na sequência, encaminhada para um lanche”, explica.

O Hemosc necessita de todos os tipos sanguíneos, mas o estoque de O negativo costuma reduzir mais rapidamente. “Como o O negativo é compatível com os outros tipos sanguíneos, ele é o sangue escolhido para transfusões de emergência, tendo um consumo maior e o mais afetado pelas diminuições das doações”, esclarece Muriel.

Pra ser um doador é preciso estar em boas condições de saúde, ter entre 18 e 69 anos, ou mais de 16 na presença e autorização formal dos pais, e pesar mais de 50 quilos. Não é necessário jejum, mas é recomendável uma alimentação leve nas 12 horas antes da doação.

Para saber os locais de doação de sangue no estado, acesse www.hemosc.org.br.

Saiba mais sobre a doação de sangue:

Tipos de doação

O doador pode candidatar-se à doação de três formas:

- Doação espontânea: atitude solidária para ajudar o próximo, de modo altruísta
- Doação vinculada: vinculada à algum paciente
- Doação autóloga: doar para si mesmo

O que é necessário para doar?

- Ter idade entre 18 e 69 anos, 11 meses e 29 dias;
- Doadores com idade de 16 e 17 anos de idade são aceitos para doação mediante a presença e autorização formal dos pais e/ou responsável legal;
- O limite de idade para a primeira doação é de 60 anos;
- O candidato à doação deve estar em boas condições de saúde, sem feridas ou machucados no corpo;
- Pesar acima de 50 kg;
- Apresentar documento de identidade com foto, emitido por órgão oficial: RG, carteira profissional, carteira de motorista, etc;
- Evitar o jejum. Fazer refeições leves e não gordurosas nas horas que antecedem a doação;
- Evitar uso de bebidas alcoólicas nas últimas 12 horas.

Intervalo entre as doações:

- Mulheres: 90 dias/ três doações nos últimos 12 meses;
- Homens: 60 dias/ quatro doações nos últimos 12 meses.

Não pode doar:

Quem tem ou teve as seguintes doenças:

- Hepatite após os 11 anos de idade;
- Lepra (hanseníase);
- Hipertireoidismo e tireoidite de Hashimoto;
- Doença autoimune;
- Doença de Chagas;
- Aids;
- Problemas cardíacos (necessita avaliação e declaração do seu cardiologista);
- Diabetes;
- Câncer.

Post A Comment: