Foto: Divulgação / Comcap

Coleta convencional de quarta-feira à noite será substituída por seletiva no Centro, área comercial do Estreito e via gastronômica de Coqueiros

Em esforço para restabelecer a seletiva e toda cadeia da reciclagem afetada pela pandemia da Covid-19, a Comcap apresenta alterações temporárias no sistema de coleta de lixo de Florianópolis. Para viabilizar a retomada, informa o presidente da Autarquia de Melhoramentos da Capital Comcap, Lucas Arruda, a principal condição foi substituir por um dia de seletiva (recicláveis) onde a coleta convencional (rejeito) é feita seis vezes por semana. 

A partir de 24 de maio, a Comcap restabelecerá boa parte da coleta seletiva na Capital. Na primeira fase, foi retomada a coleta de materiais recicláveis no Centro. Nessa segunda etapa, serão atendidos praticamente todos os bairros e balneários, mas com roteiros abreviados e frequência reduzida. 

Nas áreas centrais e continentais, onde a coleta de lixo ocorre seis vezes por semana, às quartas-feiras à noite passará a ser feita coleta seletiva. 

Aos domingos, serão feitas tanto a coleta convencional quanto a seletiva no triângulo central compreendido entre a Mauro Ramos, Beira Mar Norte e Gustavo Richard, de modo que o usuário dessa região terá cinco coletas para rejeito e duas seletivas por semana.

Nos calçadões do Centro, a convencional e a seletiva permanecerão seis dias por semana, num total de 12 coletas.

Nos bairros da segunda fase, será retomada a seletiva uma vez por semana.


Como dispor para coleta
Nos dias de coleta convencional, o usuário deverá dispor o rejeito (lixo como o de banheiro, que vai para aterro sanitário) em contentores, conforme Lei 113/2003. Nos dias de coleta seletiva, os recicláveis secos (embalagens de plástico, vidro, metal e papel) devem ser dispostos em sacos claros e transparentes.

“A Comcap está retomando a seletiva de forma gradual e orientada para a segurança das pessoas na cadeia da reciclagem”, aponta o presidente Lucas Arruda. A pandemia, observa ele, acabou criando uma oportunidade de avaliar as metas Floripa Lixo Zero 2030  e de readequar custos públicos otimizando equipes e equipamentos. 

Economia de recursos e melhor resultado
“Esses são tempos de escassez, temos que tornar os serviços públicos mais simples, limpos e fáceis para alcançar melhores resultados. A coleta de resíduos em Florianópolis passará a usar as mesmas equipes e o mesmo tipo de equipamento para fazer a coleta de rejeito e de recicláveis. Para isso, será absolutamente necessário que o usuário colabore, separando recicláveis dos rejeitos e orgânicos _ as três frações dos resíduos _ e dando o destino adequado a cada uma delas”, resume Lucas Arruda. 

Mudança com pandemia
A coleta seletiva da Comcap foi suspensa em 19 de março por conta do fechamento dos galpões de triagem da Grande Florianópolis em contenção sanitária relacionada à pandemia Covid-19. A autarquia manteve ativa a modalidade de entrega de recicláveis na rede de seis Ecopontos e de 38 pontos de entrega voluntária de vidro (PEVs). Quando se preparava para retomar a seletiva, em 20 de abril, a Comcap foi atingida por decisão judicial que afastou praticamente 400 empregados mais vulneráveis à Covid-19.

Mesmo assim, em 28 de abril, a Comcap retomou a seletiva na área comercial do Centro da cidade, triângulo compreendido entre avenidas Mauro Ramos, Gustavo Richard e Beira Mar Norte. Agora amplia para bairros do entorno do Morro da Cruz, continente e parte dos balneários. Novas ampliações estão previstas para metade de junho, até que o serviço de coleta seletiva domiciliar volte a ser restabelecido em todos os bairros e balneários da cidade, como ocorre há mais de 30 anos.

Geração de resíduos
Desde o início da pandemia, a Comcap coletou 25 mil toneladas de resíduos na coleta convencional e 241 toneladas na coleta seletiva. 
Os roteiros de coleta são monitorados em tempo real e foram ajustados ao novo perfil de geração de resíduos com o distanciamento social: muito mais lixo residencial.
No total geral de resíduos recolhidos na cidade, a tendência foi de queda em torno de 20% e tem se mantido assim. A cada semana, muda cenário e indicadores, conforme avança a seletiva e são reabertos serviços e atividades comerciais. 

Compactador na seletiva
A Comcap, seguindo tendência mundial, usará em período de testes operacionais os caminhões compactadores também na coleta seletiva. O equipamento, ajustado, faz uma compactação leve, mantendo o material em condições de triagem, e economiza viagens, porque reduz o volume e aumenta o peso transportado. A maior capacidade de carga dos compactadores reduz custos públicos, porque economiza combustível e tempo das equipes. 

“Além de melhorar custos e a pegada de carbono da coleta seletiva, os caminhões compactadores aumentam a segurança e diminuem o esforço no trabalho dos garis”, aponta Lucas Arruda. 

Nesse novo modelo de coleta seletiva com compactadores, a Comcap orienta o usuário a separar o vidro para entrega voluntária nos Ecopontos e PEVs de Vidro.

A Comcap está comprando cinco novos caminhões compactadores de grande porte, com câmbio automático, para a coleta seletiva. O sexto, para coleta seletiva de verdes (podas), já está na sede. Outros quatro equipamentos para coleta exclusiva de vidro e resíduos orgânicos chegarão nos próximos meses.

Este ano, serão investidos R$ 8,1 milhões em coleta seletiva e reciclagem. “A Comcap vai dar um salto com qualidade em direção às metas Floripa Lixo Zero 2030”, avalia Lucas Arruda. Os novos equipamentos estão sendo adquiridos com recursos obtidos pela Prefeitura de Florianópolis pelo programa de Financiamento à Infraestrutura e ao Saneamento (Finisa), da Caixa.



Post A Comment: