Guerreiros da coleta de lixo Foto: Divulgação Comcap
Comcap reconhece e aplaude esforço no Dia do Gari

A Autarquia de Melhoramentos da Capital Comcap opera normalmente com mais de 1,1 mil garis. Neste período de crise sanitária, para proteger as pessoas mais vulneráveis à Covid-19, estão afastados 400 empregados. Mesmo assim, graças ao esforço dos que estão trabalhando, a Comcap mantém normal a coleta convencional, retoma de forma gradual a coleta seletiva e realiza todos os serviços essenciais de limpeza pública, incluindo novo serviço de sanitização de vias e entorno de centros de saúde e hospitais. 

“Os garis da Comcap, que já eram vistos como super-heróis pela criançada, agora vestiram máscaras. A Comcap reconhece e agradece o esforço desses profissionais que, nesse momento, não podem ficar em casa porque trabalham pela segurança daqueles que devem ficar em casa”, aponta o presidente da Comcap, Lucas Arruda, a propósito do Dia do Gari, comemorado no Brasil em 16 de maio.

“Ser gari é cuidar da cidade como se cuida da própria casa, deixar tudo limpo e organizado”, afirma o gari Cristiano Cesar Cardoso. 

Há na Comcap 439 garis na coleta convencional, seletiva e de volumosos. Apenas 19 são mulheres. Mais de 90% dos garis são maduros, têm entre 30 e 50 anos. Não há nenhum gari da Comcap sem instrução formal, todos sabem ler e escrever.

Na limpeza pública, há 693 auxiliares operacionais que se ocupam de diferentes serviços como varrição, roçagem, capinação, limpeza de valas. No passado, eram preferencialmente mulheres, as 'margaridas', que faziam apenas a varrição das ruas, mas hoje, com a admissão por concurso público e a ampliação das atividades, as mulheres correspondem a pouco mais de 20% do contingente. São 157 mulheres.
Zero casos de Covid-19 entre trabalhadores em limpeza pública e coleta em Florianópolis

No Dia do Gari, 23% dos operacionais da Comcap estão em casa para se proteger

Neste sábado (16), Dia do Gari, há zero casos da Covid-19 entre os trabalhadores em limpeza pública e coleta de resíduos em Florianópolis. Houve dois casos suspeitos que foram testados pela Prefeitura de Florianópolis e descartados.

 Dos 1,1 mil garis da Comcap, 23% (263) estão em casa. Os afastamentos iniciaram em 19 de março, acompanhando decreto do governo do Estado, e se intensificaram em 20 de abril por decisão judicial que estendeu a medida a todos os diabéticos e hipertensos.

Trabalham na autarquia 439 garis de coleta, 52 deles, os mais vulneráveis por idade ou condição de saúde, estão afastados durante a pandemia. Entre os 693 garis de limpeza pública, 211 pessoas, um terço do contingente, estão em casa para se proteger.

Proteção das pessoas

Em 2 de março, a Comcap providenciou insumos de higiene como álcool gel e sabão líquido em todas as instalações. Em 18 de março, instalou comitê de crise e publicou por portaria medidas de segurança e combate à Covid-19.

No primeiro mês de enfrentamento à Covid-19, entre 19 de março e 19 de abril, a Prefeitura de Florianópolis, por meio da Comcap, afastou 175 empregados com mais de 60 anos e aqueles em condições especiais de saúde. 

Os que seguiram trabalhando tiveram redução de jornada para evitar a exposição. A jornada voltou a ser integral (com conclusão de tarefa para garis coletores) em 20 de abril, quando mais 212 empregados com registro de diabetes e hipertensão no prontuário médico tiveram de ser também afastados por decisão judicial.

Medidas sanitárias

Desde 18 de março, com comitê de crise instalado, a Comcap mantém as seguintes medidas de proteção:
- fornecimento de álcool gel e solução com sabão líquido nas instalações e para uso nos veículos
- fechamento de refeitórios e de outros locais de aglomeração
- transporte alternativo (em razão da suspensão do transporte coletivo)
- higienização dos veículos
- higienização dos ambientes
- fornecimento de três máscaras do tipo caseiro para cada empregado
- transporte especial na coleta para que permaneçam na cabine no máximo três pessoas (motorista e dois garis) em caminhões antigos e quatro pessoas (motorista mais três garis) nos caminhões com cabine dimensionada para motorista mais três passageiros.

Alteração de rotinas

Todas as rotinas foram alteradas para combater o contágio, seguindo protocolos municipais. Apenas a coleta convencional (rejeito) foi mantida normalmente. A coleta seletiva (recicláveis) foi suspensa e tem sido restabelecida de forma gradual desde o final de abril. A remoção de volumosos está sendo feita com limitações por falta de pessoal.  Serviços de limpeza pública restringem-se ao essencial, como varrição, limpeza de valas e de pontos de descarte irregular. Foi implantado serviço regular de sanitização de vias (com hipoclorito de sódio) e do entorno de 72 centros de saúde, hospitais e da Passarela da Cidadania onde a Prefeitura de Florianópolis acolhe pessoas em situação de rua.

Post A Comment: